quarta-feira, 2 de agosto de 2017

RESENHA: GENERATIONS THE STRONGEST

AVISO: TEM SPOILER


Fala Galera! Depois de um tempo significativo sem escrever uma resenha, sento diante do computador para passar para vocês o que eu achei do one-shot Generations: The Strongest, o gibi tem roteiro de Greg Pak e art de Matteo Buffagni.

A primeira coisa a pontuar na presente resenha é que a história é ambientada num determinado momento do passado onde Bruce Banner e Amadeus Cho ainda não se conhecem. O novo Hulk de um momento para o outro, aparece no passado.




A segunda coisa a pontuar é que o primeiro ato da história se dá no deserto, ali os Hulks enfrentam o exercito e para evitar mortes, o novo Hulk dá um jeito de tirar o Hulk original dali para que nenhum soldado morra.

Uma vez que eles conseguem se distanciar a luta entre eles acontece, o resultado? Podemos dizer que rolou um empate, pois o Greg Pak jamais iria fazer com que a sua criação perdesse para o Hulk original, mas para não ser xingado pelos fãs antigos ele também não fez com que o Chulk vencesse.



Depois de ambos se transformarem em  Amadeus e Banner ele se  afastam dali (segundo ato), “pegam algumas roupas emprestadas” e enquanto Banner come um sanduiche recolhido do lixo eles conversam sobre a ideia de controlar a raiva, sobre o Hulk ser ou não uma coisa boa, novamente Pak menciona o fato de Banner apanhar muito do pai, seus traumas etc....


Na terceira parte ou ato da história um monstro ataca a cidade que eles estão (tudo culpa do exercito), Amadeus se transforma e quer mostrar que o Hulk é uma coisa boa, Banner se transforma e no final os Hulks começam uma conversa que continua depois que eles se transfomam em Amadeus e Banner novamente e que resulta na seguinte conclusão: “Não somos heróis, somos carcereiros e isso não é um presente...”

O exercito ataca, Amadeus começa a ser transportado para o presente entendendo o seguinte: “Eu não sei o que vai acontecer a seguir, para mim ou para o Banner, mas está na hora de finalmente eu admitir que este "presente" é uma maldição. E vou ter de descobrir como termina-la antes que ela acabe comigo".



A história não é ruim, mas também não é boa, caminha ali pelos campos do mais ou menos, haja vista que no final o que se concluiu é que Amadeus deve mudar a sua percepção a respeito do Hulk, uma vez que ele anda tendo problemas para controlar a raiva.

O momento mais interessante da história ocorre no final, Amadeus estava perdendo o controle e graças a intervenção do Hulk original é que ele começa a entender o que realmente significa ser o carcereiro de um monstro.

Já que ele é um carcereiro, ele não pode permitir o prisioneiro assuma o controle e escape, no mais, a leitura flui bem, mas está longe de ser uma história que será lembrada por sua qualidade, falta ousadia, mesmo os momentos de ação não empolgam muito.

De certa forma a ideia das gerações se mostra para ambos os protagonistas, a saber, o Hulk é uma maldição e por isso ele jamais pode assumir o controle.

Nota 6,0

Até a próxima!


7 comentários:

  1. “Eu não sei o que vai acontecer a seguir, para mim ou para o Banner, mas está na hora de finalmente eu admitir que este "presente" é uma maldição. E vou ter de descobrir como termina-la antes que ela acabe comigo"

    Isso, vaza logo e entrega o posto pra quem foi, é e sempre será o verdadeiro Hulk! XD

    ResponderExcluir
  2. Você foi bonzinho cara HAHAAHAHAH. Pra mim a nota é 0. A arte tá uma bosta, muito triangulado o desenho e tem momento que nem dá pra identificar quem é o Bruce e quem é o Amadeus. A história é entediante e toda essa babaquice da edição é só pra mostrar que o Amadeus vai passar pelos mesmos conflitos que o Bruce passou em relação ao Hulk. Marvel é um lixo mesmo. Seria melhor matar o Cho e trazer o Bruce de volta.

    ResponderExcluir
  3. Já houve tantas maneiras de trabalhar o Hulk nas hqs.Gostaria de ver uma historia que o Hulk ficasse preso no corpo do Banner mas como personalidade dominante e sem superforça e fosse perseguido por seus inimigos.Seria interessante ver a raiva do verdão mas sem ser aliada a força bruta.Poderia ser escrita por Peter David.Um sonho,talvez...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade isso já aconteceu, depois da fase do Peter David por sinal, quando o Banner conseguiu unir o hulk burro e verde com o cinza e sacana e ficava na forma de hulk porém inteligente, só que depois que Peter David saiu começou uma nova saba que o Hulk ficou tão irritado que voltou a forma de banner fracote porém burro e raivoso, ou seja, o inverso.
      Eu n lembro o que causou e nem como terminou, mas tinha o envolvimento de Ross e acho que foi na época que a Betty morreu.

      Excluir
    2. Tambem lembro dessa fase horrivel, foi logo apos a saga do Pateao, e isso funcionou como uma trava pro hulk professor nao perder o controle, entao qdo tava furioso se transformava no banner, mas com a ira do Hulk classico. E pra voltar a ser o hulk sabidão, a Betty dava um remedinho pra ele, se é que vcs me entendem...

      Excluir
  4. Eu não sabia que a nova fase de histórias era tão ruim

    ResponderExcluir
  5. O HULK precisa ser mais respeitado !!

    ResponderExcluir